Pupo estreia com maestria em Pipe

Miguel Pupo (SP) (@WSL / Poullenot)Miguel Pupo (SP) (@WSL / Poullenot)

Miguel Pupo surfou o tubo mais incrível do dia em Banzai Pipeline, ganhando nota 10 de três dos cinco juízes, com a média ficando em 9,93, na segunda-feira de ondas de 8-10 pés em Pipeline, para começar o Billabong Pipe Masters. “Fiquei feliz por ter vindo aquela onda animal pra mim”, disse Miguel Pupo, que mesmo com a maior nota do dia, só conseguiu confirmar a vitória no minuto final da bateria toda liderada pelo havaiano Benji Brand. “Eu estava tentando pegar as direitas do Backdoor e acabou vindo esse tubaço em Pipeline, o que foi até engraçado porque nem eu esperava. Sempre quando você consegue uma nota alta assim, todos sabem que você pode fazer outra. Eu bem que tentei isso, mas não tinha muitas oportunidades para surfar lá fora. Eu meio que cai em algumas ondas, cometi alguns erros, mas finalmente consegui esse tubo no final pra vencer”.





Mesmo depois de Miguel Pupo surfar o tubo mais incrível da segunda-feira numa morra de 10 pés nas esquerdas de Pipeline. Ele dropou a onda de cabeça pra baixo, já botando pra dentro de um tubaço, sumiu na cortina d´água e saiu na baforada para arrancar nota 10 de três dos cinco juízes. Um deles foi cortado com a mais baixa e a média das outras três notas ficou em 9,93. Como ele tinha meio ponto da sua primeira tentativa de pegar um tubo, o havaiano Benji Brand permanecia na frente com as notas 4,67 e 7,17 das suas primeiras ondas e Medina em último sem surfar nada há 15 minutos do fim da bateria.

O havaiano ainda pegou outro tubo no Backdoor que valeu 5,10 para aumentar a pequena vantagem sobre Miguel Pupo para 2,34 pontos apenas, enquanto Medina continuava em último com uma combinação de duas ondas para vencer. Mas, isso só até ele também sumir dentro de um tubo nas esquerdas de Pipeline, sair na baforada e receber nota 8,50 dos juízes. Com isso, passou a precisar de apenas 3,77 nos 10 minutos finais da bateria. Ele logo entra em outro tubo profundo em Pipe, mas não consegue sair.

Já o havaiano pega a onda de trás e completa um tubo menor, ganhando 5,47 dos juízes para aumentar o seu placar para 12,64 pontos, deixando Pupo precisando de 2,71 e Medina de 4,14 quando soou o sinal dos últimos 5 minutos da bateria. Pupo falha na primeira tentativa e a prioridade de escolha da próxima onda fica para Medina. Ele pega um tubo nas direitas do Backdoor, se encaixa lá dentro, sai espremido da onda pequena, faz mais uma manobra e recebe 3,93, ou seja, perdeu a chance de conseguir os 4,14 pontos que precisava.

No último minuto, os brasileiros dropam na mesma onda, Medina vai para o Backdoor que não rodou o tubo, mas Pupo acha um nas esquerdas de Pipeline e tira 4,90 para conquistar a primeira vitória brasileira por 14,83 pontos. Pupo é o 23º colocado no ranking e precisa passar mais uma bateria para entrar na zona de classificação para o CT 2018, pois no momento está perdendo sua vaga na elite. Já Gabriel Medina terá que disputar a repescagem e seu adversário na primeira eliminatória do campeonato será o havaiano Dusty Payne, derrotado por John John Florence na bateria seguinte a do primeiro campeão mundial do Brasil.

“A pressão pela requalificação é grande, mas dei o primeiro passo”, disse Miguel Pupo. “Eu estou com minha família aqui comigo e toda vez que vejo minha filha, essa pressão meio que desaparece. Fico pensando nela, como ela está feliz, então estar no Havaí com minha esposa também, alivia bastante essa pressão e ela vai embora quando estou com elas. Sei que o Medina está aqui disputando o título mundial, mas só tentei fazer o meu melhor, fazer o meu trabalho bem feito e eu preciso de um bom resultado para ficar no CT também”.

Por João Carvalho

Compartilhe.