Passeio ciclístico com intuito de chamar atenção dos ciclistas, da sociedade e, finalmente, dos órgãos responsáveis para a questão da despoluição do Rio Pinheiros, em São Paulo, o Pedal das Capivaras chega à sétima edição com o tema: “Contagiando as Crianças”. O evento será na manhã do domingo, dia 9 de dezembro, no Clube da Comunidade (CDC) Arena Radical, e dessa vez terá como foco os jovens da comunidade do Coliseu, localizada no bairro da Vila Olímpia.

João Magalhães durante o Pedal em 2017/ Foto: JB Carvalho/Shimano)

“Já fizemos passeios temáticos com biólogos explicando sobre a situação do Rio Pinheiros. Fizemos o passeio com a presença de atletas de ciclismo, formadores de opinião e profissionais da mídia, além de termos feito diversos debates. Agora, vamos falar diretamente com as crianças que vivem em um bairro de baixa renda, próximo ao Rio Pinheiros. Vamos mostrar a elas que a despoluição do Rio é possível, mas que vai depender delas também. E que a bicicleta é uma aliada por um mundo melhor, menos poluído e mais sustentável”, afirma João Magalhães, coordenador de comunicação da Shimano Latin America e organizador do evento.

“Estamos em contato também com a CPTM, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, parceira do Pedal das Capivaras desde a sua primeira edição, em 2011, para fazermos uma campanha dentro da ciclovia com banners convidando os ciclistas a dedicarem sua pedalada à despoluição do Rio Pinheiros no que intitulamos de “Semana de Despoluição do Rio Pinheiros”, com o uso da hashtag #PedalDasCapivaras”, complementa João Magalhães.

Mais do que um simples passeio de bike nas margens do Rio Pinheiros, o Pedal das Capivaras procura sensibilizar ciclistas e a comunidade a respeito da péssima situação das águas do rio, que é um dos principais da cidade e que está presente diariamente na vida dos paulistanos. Por isso, nos anos de 2015 e 2017, além do pedal na ciclovia Rio Pinheiros, foram realizados debates envolvendo empresas do setor de bicicletas e esportes, formadores de opinião, representantes do poder público e da mídia.

Em 2017, o Pedal das Capivaras apoiou o #VoltaPinheiros, um movimento organizado pelo publicitário Marcelo Reis, da agência Leo Burnett Tailor Made, para gerar engajamento com o objetivo de tirar o rio do esgoto do esquecimento, colocá-lo de volta no centro das atenções e convidar sociedade civil, empresas, organizações não governamentais e órgãos responsáveis para elaborarem e implantarem um projeto que devolva um rio saudável aos paulistanos.

Neste ano, o projeto Seu Lixo Meu, que tem como objetivo alinhar pensamentos em prol de um planeta com menos lixo, e o Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do Brasil, se unem à Shimano para uma interação educativa e conscientizadora com crianças e adolescentes da comunidade do Coliseu, na Vila Olímpia. O Pedal das Capivaras terá uma ação direta com os jovens dessa comunidade, para falar da despoluição do Rio Pinheiros.

“Eu, o Alexandre Socci e os voluntários do #SeuLixoMeu estamos muito felizes em participar novamente do Pedal das Capivaras. Poder unir o ciclismo e uma causa ambiental tão importante, gera uma esperança de um dia podermos pedalar às margens de um Rio Pinheiros limpo. Todos estes esforços e movimento de educação ambiental são para alertar a população que o esgoto e o lixo gerado e descartado incorretamente pelas ruas, degrada cada vez mais nossos recursos hídricos, afetando saúde e lazer dos paulistanos”, destaca Marianna Menato, co-fundadora do Projeto Socioambiental Seu Lixo Meu.

Legado das Águas – O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do País, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR), é um dos ativos ambientais da Votorantim. Localizada na região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, a área foi adquirida a partir da década de 1940 e conservada desde então pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que manteve sua floresta e rica biodiversidade local, com o objetivo de contribuir para a manutenção da bacia hídrica do Rio Juquiá, onde a companhia possui sete usinas hidrelétricas. Em 2012, o Legado das Águas foi transformado em um polo de pesquisas científicas, estudos acadêmicos e desenvolvimento de projetos de valorização da biodiversidade, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.

Hoje, o Legado das Águas é administrado pela empresa Reservas Votorantim, criada para estabelecer um novo modelo de área protegida privada, cujas atividades geram benefícios sociais, ambientais e econômicos de maneira sustentável. “Participar de iniciativas como essa, que trabalhem as temáticas de sustentabilidade, saúde e qualidade de vida, é extremamente relevante para que possamos contribuir na criação de uma cultura de cuidado e conservação do meio ambiente. Nossas atitudes e exemplos podem influenciar o futuro de crianças, jovens e adultos”, afirma William Mendes, analista de Ecoturismo e Esportes do Legado das Águas.

Evento em paralelo – Em paralelo ao Pedal das Capivaras, o local será sede do Festival 110 Anos Radicais, uma homenagem do CDC Arena Radical aos 110 anos da imigração japonesa no Brasil. O espaço contará com food park, provas de BMX, além de palestras e apresentações musicais, entre 9h e 18h do domingo (9). “A Shimano sempre busca apoiar iniciativas e projetos como o CDC Arena Radical, e nessa iniciativa, decidiram juntos, somar em prol da cultura, esporte e meio ambiente. Temos como proposta ser um espaço democrático, de promoção do esporte, lazer e cultura. Entendemos que o Pedal das Capivaras vem a contribuir complementando as temáticas promovidas pelo parque, trazendo um olhar para o meio ambiente. Estamos embaixo de dois viadutos, ambos de acesso à Avenida Bandeirantes, em uma área super elitizada de São Paulo. Mas, pretendemos ser um espaço de convivência entre todos”, explica Marcela Bacchin, consultora de impacto positivo e gestora do CDC Arena Radical.

“Assim, por meio do Pedal das Capivaras, vamos trazer 50 crianças da comunidade do Coliseu de maneira a contribuir com a diversidade de pessoas e das temáticas que queremos desenvolver para o desenvolvimento social, ambiental e menos gentrificado. Vamos homenagear a imigração da cultura japonesa e teremos incluso ainda questão ambiental por meio deste passeio ciclístico. Isso retrata bem o nosso objetivo, de ter uma convivência democrática no Clube da Comunidade”, conclui Bacchin.

Por ZDL Sports

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.