Um dos momentos mais emocionantes em Sunset Beach, no última dia do Vans World Cup, foi protagonizado pelo potiguar Jadson André. Matematicamente, ele já estava garantido no CT quando entrou no mar para disputar as quartas de final. Isso porque Jack Freestone tinha sido eliminado na bateria anterior e não poderia mais ultrapassa-lo no ranking. Mas, Jadson não sabia disso e foi guerreiro mais uma vez, mostrando muita raça na onda que pegou nos últimos segundos.

Ele arriscou tudo porque estava em último, precisando de uma nota acima de 7 pra se classificar, então manobrou forte e ficou no inside aguardando a nota, que demorou para sair. Os juízes premiaram sua apresentação com 8,10 e Jadson saltou do quarto para o primeiro lugar, deixando o francês Joan Duru em segundo, eliminando o italiano Leonardo Fioravanti e o sul-africano Matthew McGillivray. Ele vibrou bastante dentro d´água ainda, não pela classificação para o CT que ainda não sabia, mas pela passagem para as semifinais.

“Eu só tenho a falar que Deus é o Deus do impossível”, disse Jadson André. “Eu precisava de uma onda excelente ali no final, faltando poucos segundos, e eu só pedi a Deus, que faz as coisas impossíveis acontecer, que me mandasse uma onda por favor. Ele mandou e eu consegui virar a bateria. Estou tentando controlar minha emoção, porque eu quero muito fazer a final aqui, mas essa bateria foi muito importante pra mim, então obrigado a todos pela energia, pela torcida e ainda vou tentar sair daqui com um troféu”, o que não conseguiu. Jadson e Weslley Dantas ficaram empatados em sétimo lugar na Vans World Cup.

Por João Carvalho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.