Cabeça de chave número 1, o potiguar Italo Ferreira estreou hoje (1), no segundo dia de disputas do Red Nose São Sebastião Pro 2018, com a classificação de forma emocionante. Grande atração do QS 3000, que está sendo disputado na Praia de Maresias, em São Sebastião, o atual número 4 do CT e único a garantir três vitórias nesta temporada, apostou nos aéreos, mas as condições das ondas não ajudaram, e ele só garantiu a vaga para o round 4 nos instantes finais, também voando.

Italo Ferreira/ Foto: Basilio Ruy

“Foi muito difícil a bateria. Eu achei que na esquerda iria conseguir dar uns aéreos, mas não estava do jeito. Estava sem parede e acabou prejudicando. Optei pelos aéreos, porque o vento está bom, então segura a prancha, mas deveria ter usado a estratégia de ter ido para o outro lado do palanque, onde a bancada está rasa, tem uma esquerda correndo e tem um pouco mais de junção, mas o importante é passar e tentar fazer melhor na próxima”, comentou Italo.

Apesar de não precisar de pontos, Italo demonstra a sua “veia” de competidor e já adianta que veio para vencer, até para dar retorno a um de seus patrocinadores, a Red Nose Energy Drink. “Sem dúvida. Competição a gente entra para ganhar. Eu dei o sangue ali para virar na última onda”, revelou. “A onda foi bem pequena e tentei espremer o máximo para conseguir os pontos e foi legal”, acrescentou.

Quem também fez bonito no segundo dia de disputas foi Samuel Pupo. Competindo “em casa”, ele garantiu a maior pontuação do dia, com 14,74 pontos de 20 possíveis nas duas melhores ondas. “Foi muito bom estar aqui em casa competindo. Ano passado perdi de cara, estava um pouco tento, então vim mais relaxado e funcionou. Praticamente fiz uma bateria perfeita e estava em sintonia com o mar, o mais importante”, comentou o atleta, que acaba de completar 18 anos.

Samuca tem ótimas recordações de Maresias. Além de ser a praia onde treina diariamente, foi campeão internacional do Rip Curl Grom Search, em 2014, mesmo título conquistado por Gabriel Medina em 2010. Já no ano seguinte fez a sua estreia em disputas profissionais, justamente no QS. “Venci o trials e competi com o Gabriel e dois atletas que precisavam de pontos para se classificar para o CT. Foi dureza, mas avancei com o Gabriel. Foi demais”, lembrou.

Por Fábio Maradei

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.