Depois de 27 pódios consecutivos nos campeonatos que disputou desde 2014, a carioca Chloé Calmon parou na terceira fase da etapa decisiva na Ilha Taiwan e a havaiana Honolua Blomfield faturou o caneco de campeã mundial da World Surf League com a vitória no Taiwan World Longboard Championship na quarta-feira, 29, na praia Jinzun Harbour, em Taitung. Chloé terminou novamente como vice-campeã mundial e a melhor brasileira em foi a pernambucana Atalanta Batista. A tricampeã sul-americana ficou em quinto lugar com a derrota nas quartas de final para a campeã mundial de 2016, a americana Tory Gilkerson.

Honolua Blomfield (HAV) (@WSL / Tim Hain)

Esta foi a primeira vez que o título mundial feminino foi decidido em duas etapas. A primeira aconteceu em Papua Nova Guiné e foi vencida pela brasileira Chloé Calmon, derrotando a havaiana Crystal Walsh na final. Agora, pela primeira vez as meninas competiram na Ilha Taiwan e o evento foi um sucesso, com boas condições desde o domingo, quando foi iniciado o Taiwan World Longboard Championship.

A carioca Chloé Calmon, que tinha estreado com os recordes femininos do domingo em Taiwan, entrou no confronto seguinte para fazer sua segunda defesa da liderança do ranking em Taiwan e acabou em último lugar numa bateria muito disputada. Ela até começou bem com uma nota 6,67, no entanto só conseguiu 6,23 para somar no placar depois disso. Já as duas norte-americanas que enfrentou foram melhores e acabaram com a chance do Brasil conquistar seu primeiro título mundial. Lindsay Steinriede venceu por 15,40 pontos e Tory Gilkerson passou em segundo para as quartas de final com 13,73 nas duas notas computadas.

Chloé Calmon (RJ) (@WSL / Tim Hain)

A única esperança de vitória brasileira em Taiwan ficou então para Atalanta Batista. No entanto, a pernambucana não conseguiu repetir as boas atuações anteriores na abertura das quartas de final. Ela não achou ondas com potencial para mostrar todo o seu surfe que já rendeu três troféus de campeã nas três únicas edições do título sul-americano da WSL South America, além de quatro canecos de campeã brasileira. Atalanta não conseguiu nenhuma nota 5 pelo menos e foi batida por 12,43 a 9,47 pela campeã mundial do ano passado, a americana Tory Gilkerson. Mesmo assim, o quinto lugar em Taiwan foi seu melhor resultado em etapas válidas pelo título mundial.

A brasileira Atalanta Batista fechou esta segunda fase despachando a japonesa Natsumi Taoka por 14,90 pontos, com as notas 7,50 e 7,40 recebidas nas primeiras ondas que surfou na bateria. A tricampeã sul-americana nem teve tempo para descansar e conquistou outra vitória no confronto seguinte, valendo as duas primeiras vagas para as quartas de final. Dessa vez, sua melhor onda valeu nota 7,33 para garantir o primeiro lugar por 13,90 pontos, contra 11,97 da norte-americana Kaitlin Maguire e 11,90 da francesa Alice Lemoigne, eliminada em nono lugar na segunda e última etapa do World Surf League Longboard Championship Tour 2017.

Atalanta Batista (PE) (@WSL / Tim Hain)

As competidoras dos Estados Unidos se destacaram no último dia da competição feminina no Taiwan World Longboard Championship. A havaiana Honolua Blomfield tinha ficado em terceiro lugar na outra etapa disputada em Papua Nova Guiné e comemorou seu primeiro título mundial na Ilha Taiwan. Na grande final, surfou três ondas no critério excelente dos juízes para derrotar a campeã mundial de 2011, Lindsay Steinriede, por 18,60 a 16,50 pontos somando 9,77 com 8,83 das duas melhores apresentações. Outras duas norte-americanas dividiram o terceiro lugar nas semifinais, Tory Gilkerson e Rachael Tilly.

Por João Carvalho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.