Hoje, quando se fala de surf vem logo à mente vários lugares espalhados pelo mundo e com altas ondas. E sem dúvida um desses locais é a Austrália. Também não é para menos, o país tem tanta onda boa que recebe três etapas do WSL, em Gold Coast, Bells Beach e Margaret River. O esporte é um dos mais praticado na terra do canguru. A Austrália possui uma área de mais de sete milhões de metros quadrados, com mais de 11 mil praias, e o InnerSport vai falar de uma praia em especial que quase ninguém conhece, mas que aqui em “Oz” – como é conhecido o continente australiano pelos nativos – é muito famosa. Estamos falando da Praia de Byron Bay, uma pequena cidade com pouco mais de nove mil habitantes e fica ao norte do estado de New South Wales.

Não existe palavra para descrever as ondas de Byron, a não ser, “perfeitas”. As ondas que quebram nesse lugar são o sonho de qualquer surfista. A formação é clássica, mesmo com as ondas pequenas ou grandes. Quando o triângulo levanta tem paredes para os dois lados. É só escolher e encaixar a prancha no “trilho”. As direitas são mais constantes. Têm ondas para todos os gostos: pequenas para os iniciantes, médias para os intermediários fazerem a cabeça e grandes e fortes para os mais experientes que querem fazer o surf de responsa. Cultura: Na alta temporada a cidade recebe muitos turistas, principalmente os que vêm de Brisbane, porque além do surf a cidade oferece atrações turísticas como o farol que fica a beira de um penhasco orientando os navios que passam pela costa à noite. Tem também a Byron Bay Cookie Company, uma fábrica que produz deliciosos bicoitos.

Indo de Brisbane fica muito fácil chegar até este lugar que recebe ótimos swell. O melhor jeito é sempre de carro e com duas horas de estrada. Agora, se você é daqueles viajantes que está sempre sem carro e com grana curta a melhor opção e ir de ônibus, com passagens – ída e volta – ao preço de 40 dólares australianos. Outra coisa que se encontra bastante em conta são as acomodações, onde um backpacker (ou hostel como é chamado no Brasil) custa por volta de 30 dólares por noite. Outra dica que vale ser dada é quanto ao que comer, sempre alguns petiscos – sanduiche de atúm é uma boa pedida – e muita, muita água, porque lá esse líquido é caro.

Se você for um “austrasileiro”, louco para conhecer novas culturas, lugares diferentes e fazer um surf de qualidade, vale a pena conhecer as ondas mágicas de Byron Bay. Essa é a dica do InnerSport para os brasileiros que estão nesse país maravilhoso e com tanta cultura envolvida com o surf. Deste jeito fica até mais fácil de entender a performance de Mick Fanning, Joel Parkinson, Jack Freestone, Tom Carrol, Mark Occylupo entre tantos outros surfistas australianos nas ondas do planeta Terra.

Redação InnerSport

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.