O sul-africano Steven Sawyer, 24 anos, é o novo campeão mundial de Longboard da World Surf League. Ele conquistou seu primeiro título na final do Taiwan Open of Surfing contra o havaiano Kai Sallas. Antes, tinha barrado o defensor do título que buscava o tetracampeonato, Taylor Jensen, dos Estados Unidos. Nenhum sul-americano chegou no domingo decisivo do Mundial de Longboard e nesta semana o evento define nas mesmas ondas de Jinzun Harbour, os títulos mundiais da categoria Pro Junior, para surfistas com até 18 anos de idade. A primeira chamada será as 7h00 da segunda-feira em Taiwan, 20h00 do domingo no Brasil.

Steven Sawyer/ Foto: WSL / Tim Hain

O time sul-americano formado nas seletivas da WSL South America, ficou composto pelos brasileiros Samuel Pupo e Eduardo Motta, os peruanos Jhonny Guerrero, Raul Dañino e Sol Aguirre na equipe feminina junto com a argentina Catalina Mercere. Além deles, o brasileiro Mateus Herdy vai competir como convidado da WSL. O formato de disputa é o mesmo das etapas do World Surf League Championship Tour que foi utilizado no Mundial de Longboard, com 36 desafiantes na categoria masculina e dezoito na feminina.

Nos pranchões, há muitos anos o último dia do evento que decidiu o título não tinha algum surfista da América do Sul, como aconteceu neste domingo na Ilha Taiwan. Os bicampeões mundiais Phil Rajzman e Piccolo Clemente perderam na quarta fase no sábado, junto com o brasileiro Jefson Silva, com os três ficando em nono lugar no ranking 2018 da WSL. Na mesma posição terminaram a carioca Chloé Calmon e a pernambucana Atalanta Batista no feminino.

Um dos surfistas que barrou Phil Rajzman acabou se tornando o campeão mundial no domingo. No último dia, o sul-africano Steven Sawyer despachou dois norte-americanos para chegar na decisão do título, Tony Silvagni nas quartas de final e o tricampeão Taylor Jensen nas semifinais. Já o havaiano Kai Sallas derrotou o francês Edouard Delpero que venceu esta etapa de Taiwan no ano passado e outro americano nas semifinais, Cole Robbins.

“Eu ainda me belisco para ver se não estou sonhando quando surfo contra caras como o Kai (Sallas), Taylor (Jensen) e Harley (Ingleby)”, disse Steven Sawyer. “Eles são todos meus ídolos e competir contra eles é quase surreal para mim. Eu fiquei vendo o Kai quebrando a semana toda e já achava que ele seria o cara a ser batido esse ano aqui. Então, eu entrei na final muito nervoso, mas depois acalmei com o incrível apoio que estava recebendo do público na praia, o que me deixou muito animado para vencer o evento. Esta é a segunda vez que venho à Taiwan e acho que foi a melhor viagem que fiz na vida. É um lugar incrível, com ondas incríveis e agora se tornou ainda mais especial para mim”.

Por João Carvalho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.