Muita radicalidade e fortes emoções. É isso que o público presente no Skature II, neste fim de semana, 24 e 25 de novembro, assistirá em Sorocaba (SP). Além das disputas do skate, o segunda edição do evento, com patrocínio máster da Riachuelo, conta com a estreia do BMX Freestyle e tem a confirmação de alguns dos melhores atletas da modalidade, que a partir de Tóquio-2020 passa a ser esporte olímpico. Marcado para o Brasil Skate Camp, a competição tem inscrições gratuitas para todas as disputas, bem como a entrada do público.

BMX Mini-Ramp/ Foto: Marcelo Mug / CBER)

O BMX Freestyle terá sua realização no domingo (25), nas modalidades street e mini-ramp, com um formato inovador, sendo disputado em duplas, o que garantirá muita emoção na arena do Skature. Entre 9h e 13h as duplas competirão no street. Em seguida, das 14h às 17h, será a vez dos atletas se apresentarem no mini-ramp. Serão somadas então as melhores notas dos competidores nas apresentações em cada uma das pistas, e assim a dupla com maior pontuação acumulada será a campeã do Skature na modalidade ciclística.

Entre os confirmados estão pilotos como Douglas de Oliveira, o Doguete, destaque em competições internacionais como o X-Games, a Olimpíada dos esportes radicais. Cauan Madona chega em alta ao Skature, após ter vencido no último fim de semana o Arena Banks BMX, em São Bernardo do Campo (SP). Nomes como o de Felipe “Manerin”, Gustavo “Balaloka”, entre vários outros especialistas no street e também no mini-ramp, vindos de diversas regiões do Brasil, prometem elevar as disputas de duplas do BMX Freestyle nas pistas do Brasil Skate Camp.

“A nossa expectativa é muito grande para a estreia do BMX Freestyle no Skature. Assim como o skate, a modalidade ciclística também está em uma forte crescente no Brasil e no mundo. Vamos receber em Sorocaba alguns dos melhores atletas do País, que têm totais condições de estarem representando o Brasil nos próximos Jogos Olímpicos. Acredito que a realização do BMX em duplas trará ainda mais emoção e suspense à competição”, conta Leonardo Rodrigues, presidente da Confederação Brasileira de Esportes Radicais (CBER).

Por Gustavo Coelho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.