A cidade de Poá será a primeira a desenvolver o Projeto Manobra da Virada, criado pela ONG Social Skate, que há mais de 15 anos usa o esporte como ferramenta social para ensinar e incutir valores. O projeto agora ganha força e expande suas atividades com o patrocínio do TNT Energy Drink e apoio da Nike SB, WestRock e Instituto Incentivar. Serão quatro dias com muitas atividades divertidas no extremo Leste de São Paulo, de 23 a 26 de julho, município sede da ONG Social Skate.

Testinha em ação / Foto Arquivo Pessoal
Testinha em ação / Foto Arquivo Pessoal

Nos dias 23 e 25, os interessados em aprender a base do skate vão poder contar com a ajuda da equipe de skatistas do Santos FC. Formada por Guilherme Parada, Isabelle Menezes e João Formiguinha, skatistas amadores de street, além de Antônio Alves, atleta paraskatista que completa a equipe santista. Por meio de uma demo eles irão interagir e passar parte de seus aprendizados para crianças e adolescentes, inclusive portadores de deficiências.

Guilherme Parada / Foto Divulgação
Guilherme Parada / Foto Divulgação

Guilherme Parada, tem 18 anos, compete desde 2010 e, entre os seus principais títulos conquistados, estão o Circuito Paulista Skate Amador, o Festival de Skate Sesc Verão Amador e o Flame Skate Contest Amador.

Isabelle Menezes / Foto Divulgação
Isabelle Menezes / Foto Divulgação

Isabelle Menezes Ribeiro, também de 17 anos, foi campeã paulista e medalha de ouro no Pan Americano de Skate em Bogotá, títulos conquistados em 2017.

João Formiguinha / Foto Divulgação
João Formiguinha / Foto Divulgação

João Alves “Formiguinha”, com apenas 16 anos, é dono de muitos títulos. Em 2017 conquistou o mundial amador e conquistou 1º lugar no Campeonato Brasileiro de Street Skate, no Rio de Janeiro.

Antônio Alves / Foto Divulgação
Antônio Alves / Foto Divulgação

E, por último, Antônio Augusto Alves Correia da Cruz, o atleta paraolímpico da equipe. Antônio tem 18 anos e nasceu com ausência de membros e mesmo assim conquistou seu espaço no universo do skate.

“Será um prazer participar deste projeto”, ressalta. “Ganhei meu primeiro skate quando criança, tinha uns três anos de idade e comecei a usá-lo para a locomoção. Aos sete, um amigo me mostrou que era possível fazer manobras aí comecei a treinar, mas nada sério. Foi aos 11 anos, quando participei da primeira competição e, fiquei em terceiro lugar, que comecei a perceber que era possível me tornar um skatista”, explica Antônio, que tem entre os seus títulos o segundo lugar no ranking Paraolímpico de Skate Brasileiro. Em 2020 o skate estreará nas olimpíadas de Tokyo, mas ainda sem a participação nas paraolimpíadas.

Para Sandro Soares, responsável pela ONG Social Skate, a motivação por meio do Projeto Manobra da Virada irá contribuir bastante para difundir o trabalho da ONG. “Poá foi onde tudo começou. Escolhemos a nossa cidade para iniciar o projeto porque queremos dar oportunidade a outras crianças que ainda não tiveram a chance de participar efetivamente das nossas aulas. E, quem vier se divertir com o carrinho nos pés poderá aprender boas manobras com os integrantes da equipe de skatistas do Santos FC”, disse.

Em todos os locais de realização do Manobra da Virada, serão convidadas ONGs que trabalham com pessoas portadoras de necessidades especiais, como a A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae ), que já confirmou presensa na oficina do dia 23 de julho, que será na Praça de Eventos Lucília Gomes Felippe, Av. Antônio Massa, 150, Centro de Poá. A proposta é utilizar o skate como ferramenta para desenvolver o equilíbrio e a confiança, além da socialização com outras crianças.

Rony Gomes, o padrinho – A ONG Social Skate sempre teve o apoio dos melhores skatistas do Brasil, como o do campeão mundial de skate vertical Rony Gomes, que desde julho de 2017 é o padrinho dos trabalhos da ONG, data que marcou uma nova fase da Instituição com aulas diárias na cidade de Poá, por meio do Projeto Manobra do Bem. Rony atualmente é um dos maiores skatista da atualidade, quando o assunto é a modalidade vertical. Seu nome também é um dos mais cotados para representar o Brasil nas Olimpíadas 2020.

Inscrições – Os interessados em participar do projeto ‘Manobra da Virada’ já podem se inscrever por meio do site da ONG Social Skate ou pessoalmente nos locais onde o projeto for implantado (sujeitos aos horários disponíveis) munido com documentos pessoais (RG).

Atenção: menores de idade (a partir dos 7 anos) só poderão participar acompanhados de um responsável, que na ocasião assinará um termo autorizando a participação da criança nas atividades. Todos os participantes receberão um skate, capacete, joelheira, cotoveleira e luva protetora contra torção. Os equipamentos deverão ser devolvidos após as atividades.

Com a intenção de promover a integração e inserir a modalidade na vida dessas crianças, Manobra da Virada acontecerá sempre em locais públicos com a presença de monitores capacitados.

Locais das oficinas do Manobra da Virada em Poá, na Zona Leste de São Paulo.

23 e 24/07 – Praça de Eventos Lucília Gomes Felippe – Av. Antônio Massa, 150 – Centro;
25 e 26/07 – Praça Hudson Creci – Rua Monte Alegre s/n – Calmon Viana.

Cada sessão terá duração de 180 minutos:

Manhã:
Das 9 às 12 horas;
Das 9h às 9h30 – inscrições;
Das 9h30 às 10h – apresentação do programa e um bate papo sobre a conduta do skatista cidadão com a participação de um dos skatistas profissionais e coordenadores da ONG Social Skate;
Das 10h às 12h – aulas práticas separadas em dois grupos: “iniciados” e “iniciantes”.

Tarde:
Das 14h às 14h30 – inscrições;
Das 14h30 às 15h – apresentação do programa e um bate papo sobre a conduta do skatista cidadão com a participação de um dos skatistas profissionais e coordenadores da ONG Social Skate;
Das 15h às 17h – aulas práticas separadas em dois grupos: “iniciados” e “iniciantes”.

O objetivo do Projeto Manobra da Virada, aprovado pela Lei Paulista de Incentivo ao Esporte (ICMS), é atender em seis meses mais de 2 mil jovens, por meio de oficinas de skate, em parques e áreas públicas do Estado, jovens interessados e que nunca tiveram acesso à modalidade ou não usufruíram de estrutura para praticar o esporte.

Sobre a ONG Social Skate – A Associação Social Skate tem como proposta a realização de atos que visem a inclusão social, educacional e cultural de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, por meio de atividades esportivas, culturais, de lazer, preservação ambiental e alimentação saudável. Atualmente são atendidas cerca de 150 crianças e adolescentes, os projetos permanentes da Ong, hoje, são o Manobra do Bem, que oferece atividades com skate diárias e a Horta Comunitária, onde as crianças do projeto recebem aulas de preservação do meio ambiente e atuam no plantio e cuidados de alimentos orgânicos.

Por Charles Roberto

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.