Phil e Piccolo seguem na busca pelo tri mundial em Taiwan

Phil e Piccolo seguem na busca pelo tri mundial em Taiwan

Mesmo com as ondas baixando para meio metro de altura em Jinzun Harbor, os homens voltaram a competir na sexta-feira depois de dois dias seguidos só de baterias femininas na Ilha Taiwan. O carioca Phil Rajzman e o peruano Piccolo Clemente passaram pela terceira fase e seguem na busca pelo tricampeonato mundial de Longboard, enquanto o paulista Jefson Silva tenta o primeiro dele depois de ganhar o clássico brasileiro com o saquaremense Rodrigo Sphaier. Os três vão disputar classificação para as quartas de final do Taiwan Open of Surfing a partir das 6h30 do sábado em Taitung, 20h30 da sexta-feira no horário de verão do Brasil.

Piccolo Clemente/ Foto: WSL / Jack Barripp

Os campeões mundiais de Longboard de 2018 da World Surf League serão definidos neste final de semana e na segunda-feira já começa a disputa pelos títulos da categoria Pro Junior, para surfistas com até 18 anos de idade, nas mesmas ondas de Jinzun Harbor, na Ilha Taiwan. O Brasil e a América do Sul já estão fora da briga pelo título feminino nos pranchões, mas três surfistas ainda podem trazer um quinto troféu de campeão mundial para o continente esse ano.

O melhor do mundo em 2007 e 2016, Phil Rajzman, ganhou o duelo sul-americano com o uruguaio Julian Schweizer, que abriu a sexta-feira do Taiwan Open of Surfing. A nota 7,5 da sua quarta onda surfada na bateria, acabou decidindo a vitória por 13,57 a 12,67 pontos sobre o primeiro uruguaio a participar do Mundial de Longboard na história da World Surf League.

“As ondas estão realmente boas ainda, apesar de menores, mas com o vento soprando nas direitas, ficou difícil para fazer o ‘nose ride’ (manobra com os pés no bico do pranchão)”, analisou Phil Rajzman. “Eu não estava muito confiante para andar pela prancha até o bico no início da bateria e isso foi muito estressante para mim. Depois, entrei no ritmo, mas fiquei bem nervoso quando o Julian (Schweizer) remou naquela última onda, já que ele é um surfista realmente capaz de conseguir a nota que precisava pra vencer. Mas, felizmente, a onda não ofereceu muitas oportunidades para isso e eu consegui a vitória”.

O carioca vai disputar as duas primeiras vagas para as quartas de final com outro bicampeão mundial, Harley Ingleby, australiano que conquistou os títulos de 2009 e 2014. O sul-africano Steven Sawyer completa essa bateria que vai abrir a quarta fase e classifica os dois primeiros colocados, com o último terminando em nono lugar no ranking 2018 da WSL.

O atual campeão mundial entra na segunda e o norte-americano Taylor Jensen pode igualar uma marca histórica do início da disputa do título na modalidade praticada em pranchões, como nos primórdios do surfe. Ele já foi o melhor longboarder do mundo em 2011, 2012 e 2017, tendo a chance de repetir neste fim de semana o recorde do australiano Nat Young, que conquistou o primeiro título mundial em 1986 e mais três seguidos, em 1988, 1989 e 1990. Ele é o único tetracampeão da história e o segundo pode ser Taylor Jensen.

RECORDISTA ABSOLUTO 

Na quarta fase, o californiano terá uma parada dura contra o compatriota Tony Silvagni, que despachou o brasileiro Eduardo Bagé, e o inglês Ben Skinner, que se tornou o recordista absoluto do Taiwan Open of Surfing também na sexta-feira. Em sua melhor onda, acertou todas as manobras clássicas com os pés no bico do pranchão, para ganhar a maior nota do evento, 9,47. Depois surfou bem de novo outra boa onda que valeu 8,60, para totalizar incríveis 18,07 pontos de 20 possíveis.

O defensor do título da etapa de Taiwan, Edouard Delpero, também fez uma grande apresentação ao vencer sua bateria por 15,10 pontos e o francês será um dos adversários do peruano Piccolo Clemente na quarta fase. Não só ele, como o seu irmão, Antoine Delpero, também vai disputar as duas vagas para as quartas de final com o peruano bicampeão mundial em 2013 e 2015. Piccolo derrotou o americano Kevin Skvarna na sexta-feira por uma boa vantagem de 13,34 a 11,50 pontos, computando notas 7,17 e 6,17.

CLÁSSICO BRASILEIRO 

Depois, um duelo brasileiro fechou a participação sul-americana no penúltimo confronto da terceira fase do Taiwan Open of Surfing e da sexta-feira em Taitung. Era um verdadeiro clássico do Longboard nacional acontecendo nas ondas de Jinzun Harbor e a disputa foi quase onda a onda. O saquaremense Rodrigo Sphaier, que já decidiu o título mundial algumas vezes, liderava a bateria com notas 5,60 e 6,73 em duas ondas seguidas.

No entanto, o paulista Jefson Silva virou o placar com o 6,53 recebido em sua última tentativa, que somou com o 6,33 da melhor que tinha surfado, para vencer por uma pequena diferença de 12,86 a 12,33 pontos. Jefson vai agora enfrentar o número 3 no ranking mundial do ano passado, Kai Sallas, do Havaí, com o norte-americano Cole Robbins completando essa batalha pelas duas últimas vagas para as quartas de final em Taiwan.

Por João Carvalho

Compartilhe.