Mesmo com as ondas baixando para meio metro de altura em Jinzun Harbor, os homens voltaram a competir na sexta-feira depois de dois dias seguidos só de baterias femininas na Ilha Taiwan. O carioca Phil Rajzman e o peruano Piccolo Clemente passaram pela terceira fase e seguem na busca pelo tricampeonato mundial de Longboard, enquanto o paulista Jefson Silva tenta o primeiro dele depois de ganhar o clássico brasileiro com o saquaremense Rodrigo Sphaier. Os três vão disputar classificação para as quartas de final do Taiwan Open of Surfing a partir das 6h30 do sábado em Taitung, 20h30 da sexta-feira no horário de verão do Brasil.

Piccolo Clemente/ Foto: WSL / Jack Barripp

Os campeões mundiais de Longboard de 2018 da World Surf League serão definidos neste final de semana e na segunda-feira já começa a disputa pelos títulos da categoria Pro Junior, para surfistas com até 18 anos de idade, nas mesmas ondas de Jinzun Harbor, na Ilha Taiwan. O Brasil e a América do Sul já estão fora da briga pelo título feminino nos pranchões, mas três surfistas ainda podem trazer um quinto troféu de campeão mundial para o continente esse ano.

O melhor do mundo em 2007 e 2016, Phil Rajzman, ganhou o duelo sul-americano com o uruguaio Julian Schweizer, que abriu a sexta-feira do Taiwan Open of Surfing. A nota 7,5 da sua quarta onda surfada na bateria, acabou decidindo a vitória por 13,57 a 12,67 pontos sobre o primeiro uruguaio a participar do Mundial de Longboard na história da World Surf League.

“As ondas estão realmente boas ainda, apesar de menores, mas com o vento soprando nas direitas, ficou difícil para fazer o ‘nose ride’ (manobra com os pés no bico do pranchão)”, analisou Phil Rajzman. “Eu não estava muito confiante para andar pela prancha até o bico no início da bateria e isso foi muito estressante para mim. Depois, entrei no ritmo, mas fiquei bem nervoso quando o Julian (Schweizer) remou naquela última onda, já que ele é um surfista realmente capaz de conseguir a nota que precisava pra vencer. Mas, felizmente, a onda não ofereceu muitas oportunidades para isso e eu consegui a vitória”.

O carioca vai disputar as duas primeiras vagas para as quartas de final com outro bicampeão mundial, Harley Ingleby, australiano que conquistou os títulos de 2009 e 2014. O sul-africano Steven Sawyer completa essa bateria que vai abrir a quarta fase e classifica os dois primeiros colocados, com o último terminando em nono lugar no ranking 2018 da WSL.

O atual campeão mundial entra na segunda e o norte-americano Taylor Jensen pode igualar uma marca histórica do início da disputa do título na modalidade praticada em pranchões, como nos primórdios do surfe. Ele já foi o melhor longboarder do mundo em 2011, 2012 e 2017, tendo a chance de repetir neste fim de semana o recorde do australiano Nat Young, que conquistou o primeiro título mundial em 1986 e mais três seguidos, em 1988, 1989 e 1990. Ele é o único tetracampeão da história e o segundo pode ser Taylor Jensen.

RECORDISTA ABSOLUTO 

Na quarta fase, o californiano terá uma parada dura contra o compatriota Tony Silvagni, que despachou o brasileiro Eduardo Bagé, e o inglês Ben Skinner, que se tornou o recordista absoluto do Taiwan Open of Surfing também na sexta-feira. Em sua melhor onda, acertou todas as manobras clássicas com os pés no bico do pranchão, para ganhar a maior nota do evento, 9,47. Depois surfou bem de novo outra boa onda que valeu 8,60, para totalizar incríveis 18,07 pontos de 20 possíveis.

O defensor do título da etapa de Taiwan, Edouard Delpero, também fez uma grande apresentação ao vencer sua bateria por 15,10 pontos e o francês será um dos adversários do peruano Piccolo Clemente na quarta fase. Não só ele, como o seu irmão, Antoine Delpero, também vai disputar as duas vagas para as quartas de final com o peruano bicampeão mundial em 2013 e 2015. Piccolo derrotou o americano Kevin Skvarna na sexta-feira por uma boa vantagem de 13,34 a 11,50 pontos, computando notas 7,17 e 6,17.

CLÁSSICO BRASILEIRO 

Depois, um duelo brasileiro fechou a participação sul-americana no penúltimo confronto da terceira fase do Taiwan Open of Surfing e da sexta-feira em Taitung. Era um verdadeiro clássico do Longboard nacional acontecendo nas ondas de Jinzun Harbor e a disputa foi quase onda a onda. O saquaremense Rodrigo Sphaier, que já decidiu o título mundial algumas vezes, liderava a bateria com notas 5,60 e 6,73 em duas ondas seguidas.

No entanto, o paulista Jefson Silva virou o placar com o 6,53 recebido em sua última tentativa, que somou com o 6,33 da melhor que tinha surfado, para vencer por uma pequena diferença de 12,86 a 12,33 pontos. Jefson vai agora enfrentar o número 3 no ranking mundial do ano passado, Kai Sallas, do Havaí, com o norte-americano Cole Robbins completando essa batalha pelas duas últimas vagas para as quartas de final em Taiwan.

Por João Carvalho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.