Em seis meses o Projeto percorreu aproximadamente 500 Km e atendeu mais de 1500 pessoas, entre elas portadores de necessidades especiais.

Foto Lucas Pereira
Foto Lucas Pereira

O Projeto Manobra da Virada, idealizado pela ONG Social Skate, cumpriu sua missão. Sua última parada foi no Clube Escola Vila Guarani, entre os dias 23 e 24 de novembro, na Zona Sul da Capital Paulista. Administrado pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de São Paulo, o Clube recebeu cerca de 100 pessoas entre crianças, jovens, adultos e até o pessoal da “melhor idade”. Todos se divertiram com o formato do projeto que teve como objetivo a inclusão social por meio do skate.

“Esta sensação de dever cumprido é real. Foi a realização de um antigo sonho desde quando começamos a receber mensagens de vários lugares do Estado, pedindo para conhecer ou participar dos trabalhos da ONG. Sabíamos que muitos moram longe e que não poderiam vir até nós. Só que nós conseguimos ir até eles com o projeto Manobra da Virada, que proporcionou o acesso de muitos que nunca tiveram contato com o skate. Tivemos também a oportunidade de levar para outros lugares a metodologia da ONG Social Skate”, explicou Sandro Testinha, presidente da ONG.

Na última parada do projeto, depois de percorrer por Poá, Valinhos, Campinas e outros pontos da Capital, chegou a vez do Clube Escola Vila Guarani, que recebeu a presença dos skatistas profissionais Karen Feitosa e Fabio Castilho. Eles ofereceram atenção aos alunos e proporcionaram acesso ao skate por meio de aulas lúdicas, onde os presentes se divertiram e se impressionaram com as performances apresentadas pelos skatistas profissionais, além dos instrutores da ONG Social Skate, que também dedicaram muita atenção aos alunos e também mandaram bem com os “carrinhos” nos pés.

Foto Lucas Pereira
Foto Lucas Pereira

Para o skatista profissional Fabio Castilho, 37 anos, e 26 de skate, o projeto tem um poder de transformação muito significativa. “Esse projeto (Manobra da Virada) é incrível, pois dá oportunidade ao público de participar e não apenas de assistir a gente. A gente interage com eles, essa é a magia deste trabalho. O Manobra da Virada aproxima mais e mais pessoas de vários seguimentos ao skate além de formar novos amigos”, relatou.

“Um dos diferenciais deste projeto foi que em todos os locais por onde nós passamos tivemos a sensibilidade de convidar e trabalhar com pessoas portadoras de necessidades especiais. Foi um grande aprendizado para todos”, relatou Leila Vieira, pedagoga da ONG Social Skate.

O Manobra da Virada, que contou com a Lei Paulista de Incentivo ao Esporte (ICMS), patrocínio das empresas TNT Energy Drink e apoio da WestRock, Nike SB e Instituto Incentivar, percorreu aproximadamente 458 Km e atendeu mais de 1500 pessoas, por meio de oficinas de skate, em parques e áreas públicas do Estado.

Sobre a ONG Social Skate – A Associação Social Skate tem como proposta a realização de atos que visem a inclusão social, educacional e cultural de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, por meio de atividades esportivas, culturais, de lazer, preservação ambiental e alimentação saudável. Atualmente são atendidas cerca de 150 crianças e adolescentes, os projetos permanentes da ONG, hoje, são o Manobra do Bem, que oferece atividades com skate diárias e a Horta Comunitária, onde as crianças do projeto recebem aulas de preservação do meio ambiente e atuam no plantio e cuidados de alimentos orgânicos.

Acompanhe as fotos de Lucas Pereira na última edição do Manobra da Virada

Por Charles Roberto

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.