Manny Santiago do SLS à ONG Social Skate

Foto Divulgação ONG Social SkateFoto Divulgação ONG Social Skate

Após o término do Street League Skateboarding, que aconteceu em São Paulo, com final no último domingo (22), o skatista profissional Emanuel Santiago, apelidado de “Manny Slays All”, de Porto Rico e radicalizado nos EUA, fez uma visita a uma das ONGs mais respeitadas do Brasil, que utiliza o skate como ferramenta de inclusão social há mais de 10 anos. A Social Skate. O encontro ocorreu na última terça-feira, dia 24 de setembro.

Com toda a sua simpatia e sempre com o sorriso no rosto Manny foi recebido com muita energia pelas crianças da ONG. Ele brincou, andou de skate e contou um pouco de sua história para a meninada. Santiago é o primeiro skatista porto-riquenho a participar da Street League Skateboarding, o principal circuito de street do mundo.

Em sua página do Instagran, Manny deixou registrado o que sentiu sobre sua visita à Instituição @mannysantiago.”Obrigado à ONG Social Skate pelo que faz. Grupos como vocês salvam vidas. Muito obrigado a Ecko, por me proporcionar um momento tão incrível aqui no Brasil”, escreveu.

Manny Santiago foi acompanhado de outro skatista profissional, Fabio Sleiman, que também postou na sua página do Instagran @fabiosleiman a seguinte frase “Um dia maravilhoso que Deus nos proporciona”. Manny Santiago e Fabio Sleiman são atletas da Ecko.

A ONG Social Skate é presidida pelo casal Sandro Testinha e pela esposa e pedagoga do projeto, Leila Vieira.

Toda a visita está registrada no vídeo abaixo, acompanhe:

A ONG Social Skate trabalha o Projeto Manobra do Bem II, um projeto já desenvolvido com o skate pela ONG, que conta com total patrocínio da Nike Social Community Impact com o slogam “Feito pra Jogar”. A Instituição também está inserida na Lei de Incentivo ao Esporte do Estado de São Paulo.

Ela também desenvolve o “Manobra do Bem Esporte, Movimento e Arte”, que tem como principal patrocinador a empresa EDP Brasil, apoio do Instituto EDP, com aportes do FUMCAD (Fundo Municipal da Criança e do Adolescente) de Poá e apoio do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente- CDMCA, de Poá.

Por meio desses dois projetos, cerca de 150 alunos, de 6 aos 18 anos, ocupam os dois espaços utilizados para as atividades (quadra coberta e quadra descoberta), onde são atendidos, gratuitamente, com lanches, palestras disciplinares, acompanhamento escolar e familiar, aulas de skate, ballet, circo, dança, teatro, futsal e aulas educação física.

Compartilhe.