Que surfistas da nova geração de todo o Brasil sonham em vivenciar a estrutura do Instituto Gabriel Medina (IGM) já se tornou um fato, mas agora o projeto está despertando o interesse de atletas até da Europa, confirmando ser referência até no exterior. Quatro jovens talentos promissores europeus estão na Praia de Maresias, em São Sebastião, para uma semana de intercâmbio no centro de treinamentos de alto rendimento criado pelo primeiro brasileiro campeão mundial de surf.

Foto: Divulgação

O francês Hugo Prins, de 12 anos, o português Mathias Canhoto, de 11, e os irmãos espanhóis Kai, que completa 13 anos sexta-feira, e Hans Odriozolo, com 10, fazem parte da equipe Rip Curl Europa e estão acompanhados pelo team manager Yann Martin. Foram convidados pelo diretor técnico do IGM, Charles Saldanha Rodrigues, o Charlão, durante a perna europeia da WSL, para uma semana de treinos usando a metodologia do projeto brasileiro.

Os quatro atletas já conheceram o IGM e ficaram maravilhados com a proposta criada e a estrutura apresentada. Também gostaram muito de conhecer o acervo de troféus e pranchas do ídolo Medina e durante a visita inicial fizeram muitas perguntas sobre como é a programação de treinos, a estrutura e até mesmo os deveres de cada atleta, como a obrigatoriedade em estudar.

Logo no primeiro dia, treinaram em frente ao IGM, nas mesmas ondas onde Gabriel Medina aprendeu a surfar. Estão hospedados no Coconuts Hotel, em frente ao mar, a apenas 250 metros do IGM e que já tem uma relação com a Rip Curl, por ter recebido todos os atletas do Rip Curl Grom Search Internacional, em 2015.

“É inacreditável, um lugar incrível. Nunca estive num lugar como esse. Tudo é muito organizado, pronto para receber.  Eles estão bem contentes de estarem aqui. Certamente terão uma boa semana de muito treinamento e vão se divertir muito também”, diz Yann, destacando a presença de Gabriel Medina na ação. “Nós quisemos vir para cá para conhecer onde ele nasceu e cresceu, além de ter a oportunidade de aprender o máximo possível com o Gabriel”, comenta.

MODELO

Especialista no trabalho de base, o team manager da Rip Curl Europa afirma que o IGM deve servir de modelo para outros projetos para formação de novos valores. “Conheço centros de treinamento na França, pela Europa como um todo e na Austrália, todos muito bons, mas esse (IGM) é um dos melhores que já vi na minha vida. Na verdade, eles nem fazem uma estrutura como essa. Penso que outras entidades, federações deveriam fazer mais modelos como este”, argumenta.

Ele também cita outro aspecto importante ligado ao IGM, a questão social, com os treinos e a obrigatoriedade nos estudos afastarem os jovens das ruas. “Para o surf, representa muito ter um centro de treinamento como esse, especialmente para a inclusão de jovens. Acho fantástico que eles usem o dinheiro para investir nas crianças brasileiras. É admirável!”, ressalta.

Os surfistas também aprovaram a vinda ao IGM. “Estou muito contente de poder treinar com o melhor do Mundo. O local aqui é incrível”, relata Kai Odriozola, campeão espanhol sub14. “O Gabriel é um grande surfista, um ídolo e é importante estar aqui para aprendermos mais”, reforça Mathias, campeão português sub12. “Quis saber tudo do IGM. É um lugar incrível e tem uma grande estrutura para treinar”, complementa Hugo, o que mais perguntou sobre como funciona o cotidiano do IGM.

Por Fábio Maradei

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.