Com um espectador de “luxo”, o bicampeão mundial de surf, Gabriel Medina, os catarinenses Heitor Mueller e Pamella Mel foram os vencedores da etapa inicial do Rip Curl Grom Search 2019, neste domingo (27), na Praia da Ferrugem, em Garopaba/SC. Apoiados pela torcida na areia da praia lotada, os dois venceram as categorias mirim e feminina, respectivamente, para atletas com até 16 anos e que vale vagas para a final internacional do evento em 2020.

Foto: Marcio David

A competição referência no Brasil nas categorias de base reuniu mais de 120 surfistas de nove estados e até do Equador, e também teve como primeiros colocados o fluminense Sunny Pires, na iniciante (sub14) e o paranaense Lukas Camargo na grommet (sub12). Além dos vencedores, destaque para o paulista Murillo Coura, único atleta a chegar em duas decisões, sendo o quarto na grommet e iniciante.

Junto às disputas em alto nível, o evento contou com uma bateria mais do que especial, comemorando os 20 anos de história do Circuito, com nomes que já fizeram parte dessa trajetória como o próprio Medina, Miguel Pupo, o novo integrante do CT, Peterson Crisanto, entre outros ícones, inclusive da nova geração como Samuel Pupo e Eduardo Motta. A demonstração foi realizada depois da final, empolgando o grande público presente.

“Foi sensacional rever e relembrar tudo isso. Tive grandes momentos nesse campeonato, fui campeão no Brasil e na final internacional e me deu projeção. É muito bom ver a molecada evoluindo. Esse é um campeonato irado, importante para a formação dos novos talentos”, disse Gabriel Medina, dando recado à nova geração. “Eu competi aqui como vocês. Acreditem e levem a sério”, orientou.

Quem também comemorou o sucesso do evento foi o gerente de marketing da Rip Curl, Fernando Gonzalez. “Final de semana especial aqui na Ferrugem. Primeiro evento de 2019, celebrando os 20 anos do Rip Curl Grom Search. Tivemos show de surf nos dois dias e novamente fomos premiados com ótimas ondas, sol, praia cheia”, disse.

“Também conseguimos reunir vários campeões do Circuito desde a sua criação. Foi uma experiência incrível e única poder trazer o Gabriel Medina para surfar com outros destaques que já escreveram o nome na história do Circuito. Agora vamos para a próxima etapa para finalizar e coroar os campeões da temporada”, complementou.

Na primeira final do dia, a iniciante, Sunny Pires, que é atleta do Instituto Gabriel Medina e mora em Maresias, saiu na frente com um 7,5. O paranaense Lucas Cainan chegou a virar o resultado, até que Sunny garantiu a segunda nota para voltar à ponta e depois, confirmou a vitória com uma nota sete. No final, o potiguar Samuel Joquinha, filho do ex-WCT, Joca Júnior, mostrou seguir os passos do pai e terminou em segundo lugar. Murillo Coura, mais um talento que vem sendo formado no Instituto Gabriel Medina em Maresias, completou o pódio.

“Vim determinado. Não acredito que eu ganhei. Altas ondas. Tenho de agradecer a Deus. Dei meu máximo e acabou dando certo”, vibrou Sunny, dedicando o primeiro lugar aos pais, Charles e Cristina.  “E Também a Deus. Agora, a final na Barra é mais tranquilo, porque conheço bem lá”, afirmou o surfista de 13 anos.

Na grommet, Murillo continuou no mar, mas quem comandou a bateria foi o paranaense Lukas Camargo. O paulista Daniel Duarte foi o segundo, numa diferença de apenas um ponto – 10,17 a 9,75, com o catarinense Gabriel Ogasahara em terceiro. “Muito feliz. Minha primeira vitória no Rip Curl, campeonato bem grande que tem atletas de vários estados, estou muito feliz. Agora é ir para o Rio e tentar ganhar de novo”, comemorou o surfista de Matinhos, que está com 11 anos.

MENINAS

Na decisão das meninas, Sophia Medina competiu como a atual campeã e com a torcida do irmão. Ela tirou um 7,25 e pulou do quarto para o primeiro lugar. Depois foi a vez da Pamella Mel dar o mesmo “salto”, com um 8,75, igualando a nota mais alta do evento, do catarinense Léo Casal, para a alegria do público na areia. As paulistas Isabela Saldanha e Sophia Gonçalves terminaram em terceiro e quarto lugares, respectivamente.

“Estou muito feliz. Primeira vez que ganhei o Rip Curl Grom Search. Escutei a galera na areia gritando e fiquei muito feliz. Ainda não caiu a ficha ainda”, ressaltou a vencedora, já projetando uma possível vaga para a final internacional em 2020. “Penso nisso direto, quando acordo, quando vou dormir. Sem patrocínio está difícil, mas com apoio da minha família a gente chega lá”, complementou a atleta de 13 anos, que mora na Guarda do Embaú.

Na última bateria do dia, também sob os olhares de Gabriel Medina, a disputa foi acirrada entre o cearense radicado no Rio de Janeiro e atual vice-campeão do ranking, Cauã Costa, e o catarinense Heitor Mueller, campeão brasileiro iniciante 2018. Cauã saiu na frente, Heitor garantiu um 8,75, também entrando na galeria das maiores notas do evento, o cearense deu o troco, mas o talento local virou o jogo com um 7,5.

Léo Casal foi o terceiro e o paranaense Kainan Meira, que também surfaram muito bem o evento todo, terminaram em terceiro e quarto colocados. “Na hora que eu peguei aquela esquerda, da série, foi demais”, festejou Heitor, que é de São Francisco do Sul, feliz com a torcida e com Gabriel Medina, um de seus ídolos. “Foi empolgante”, resumiu. “Agora é pensar na última etapa, ter foco e partir para cima. Tem de surfar muito”, completou o atleta de 14 anos.

Por Fábio Maradei

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.