O paranaense Peterson Crisanto, 24 anos, brilhou com seu surfe potente de manobras de borda e principalmente as aéreas nas ondas de Kontiki Beach, em Netanya, Israel. Ele arrancou as maiores notas dos juízes com brilhantes apresentações para festejar a sua primeira vitória no Circuito Mundial da World Surf League. Com o título do QS 1500 SEAT Pro Netanya, na quinta-feira, 26, conquistado na bateria final contra o francês Jorgann Couzinet, da Ilha Reunião, Petersinho assumiu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series 2017 neste início de temporada.

Peterson Crisanto (PR) / Foto Masurel
Peterson Crisanto (PR) / Foto Masurel

“É uma sensação incrível poder vencer uma etapa da World Surf League, especialmente considerando todo o trabalho árduo que vem sendo realizado”, disse Peterson Crisanto. “Eu estou começando o ano com o pé direito e espero que continue assim nos próximos eventos. Esta é a primeira vez que venho para Israel, tive uma semana maravilhosa aqui e esta viagem certamente ficará marcada na minha vida para sempre”.

O paranaense sempre foi considerado uma grande promessa do surfe brasileiro, mas perdeu o patrocínio que tinha desde criança e no ano passado nem competiu no Circuito Mundial. Com isso, está tendo de começar do zero, participando das etapas menores para somar pontos visando entrar no grupo dos 100 primeiros no ranking. Isso para, no decorrer do ano, poder disputar as mais importantes que definem os dez classificados para o CT.

Peterson Crisanto já havia sido o sul-americano mais bem colocado na prova que abriu a temporada 2017 nos Estados Unidos. No QS 1000 Shoe City Pro em Huntington Beach, Califórnia, ele ficou a um passo das semifinais na prova vencida pelo americano top do CT, Kanoa Igarashi. Já em Israel, o paranaense foi o destaque em todos os dias que competiu nas ondas de Kontiki Beach. Chegou no último dia como recordista absoluto do campeonato, com a nota 9,07 e os 17,74 pontos que totalizou na rodada classificatória para as quartas de final.

Na quinta-feira decisiva, ampliou essas marcas para 18,17 pontos, somando 9,80 da melhor apresentação do evento. Um dos cinco juízes chegou a dar nota 10 para ele. Petersinho usou todo o seu arsenal de manobras modernas, principalmente as aéreas, para liquidar o espanhol Jonathan Gonzalez, das Ilhas Canárias, nesta bateria da semifinal. E na grande final, também não deu qualquer chance para o francês Jorgann Couzinet.

Mais duas provas estão em andamento nessa semana, também com participação de surfistas da América do Sul. O QS 1000 Sunset Pro começou na semana passada e tem prazo até sábado para terminar, mas a segunda fase nem foi encerrada ainda, pois vem sendo adiado por falta de ondas em Sunset Beach. A outra foi iniciada nesta quinta-feira na Gold Coast e vai até domingo. O QS 1000 Burleigh Pro é a segunda das sete etapas da longa “perna australiana” do WSL Qualifying Series 2017, que vai até o dia 12 de março.

Em Israel, também foi encerrada na quinta-feira, a segunda etapa feminina da temporada 2017. E a vitória da espanhola Garazi Sanches Ortun no QS 1500 SEAT Pro Netanya, igualmente lhe valeu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series. A final foi contra a norte-americana Marissa Shaw, que assumiu a segunda posição com 1.125 pontos, à frente da australiana Macy Callaghan, que neste ano faturou o título mundial Pro Junior da World Surf League e já emendou outra vitória no QS 1000 Carve Pro também em Sydney, na Austrália.

Por João Carvalho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.