Depois de dois dias só de competição masculina, a quarta-feira, 29, ficou só para as meninas estrearem no Taiwan Open of Surfing, que decide os títulos mundiais de Longboard da World Surf League nas ondas de Jinzun Harbour, em Taitung, na ilha Taiwan. As brasileiras Chloé Calmon e Atalanta Batista perderam suas primeiras baterias na quarta-feira, mas passaram pela repescagem e já estão escaladas para disputar vagas para as quartas de final na terceira fase da competição.

Atalanta Batista/ Foto:WSL/Jack Barripp

“Estou feliz em estar de volta à Taiwan, pois eu realmente amo tudo aqui”, disse Chloé Calmon. “As pessoas, as ondas, a comida, a cultura, é tudo incrível nesse lugar e adoro vir para cá. Eu já cheguei muito perto do título mundial algumas vezes, faltou pouco e isso foi difícil pra mim. Eu acho que coloquei muita pressão em mim mesma nos últimos anos, então agora só quero aproveitar a experiência, independentemente do que acontecer. Estamos todas aqui surfando juntas, nos divertindo e viajando pelo mundo, então é nisso que quero focar neste ano”.

A vice-campeã mundial de 2016 e 2017 estreou no quarto confronto do dia e surfou bem, ganhando nota 7,10 em sua melhor onda para totalizar 13,77 pontos. Mas, a norte-americana Soleil Errico atingiu 15,67 somando notas 8,00 e 7,67 para vencer Chloé Calmon na disputa pela vaga direta para a terceira fase. Esse placar só ficou abaixo dos 17,10 pontos que a atual campeã mundial Honolua Blomfield, do Havaí, tinha acabado de conseguir com notas 8,83 e 8,27 na bateria anterior.

A carioca então teria que disputar uma rodada extra para chegar na terceira fase, assim como a pernambucana Atalanta Batista, que havia ficado em último na segunda bateria do dia, vencida pela havaiana Crystal Walsh. Apesar do tropeço na estreia, ambas aproveitaram a segunda chance de classificação e seguem na disputa do título no Taiwan Open of Surfing. As condições do mar já haviam mudado, com as ondas ficando mais baixas e as séries mais espaçadas, com poucas boas entrando nas baterias.

Atalanta disputou a primeira eliminatória do campeonato e não conseguiu mostrar todo o potencial do seu surfe, que já conquistou três títulos sul-americanos da WSL South America e quatro brasileiros. Mesmo assim, as notas 4,67 e 3,83 recebidas nas melhores ondas, foram suficientes para despachar a inglesa Emily Currie por 8,50 a 5,86 na abertura da repescagem.

TERCEIRA FASE

A pernambucana vai disputar a segunda classificatória para as quartas de final, com a defensora do título mundial e recordista absoluta do primeiro dia de competição feminina no Taiwan Open of Surfing, Honolua Blomfield, além da francesa Alice Lemoigne. Nesta rodada, é preciso ficar entre as duas primeiras colocadas para avançar, pois somente a última é eliminada em nono lugar no evento.

A carioca Chloé Calmon entra no confronto seguinte, novamente com duas norte-americanas como quando estreou na quarta-feira. Uma delas é a mesma Soleil Errico que a derrotou na primeira fase. A outra é a campeã mundial de 2016, Tory Gilkerson, que impediu que Chloé conquistasse o primeiro título do Brasil na categoria feminina. A carioca terminou como vice-campeã nos dois últimos anos e segue na luta para quebrar esse tabu.

Por João Carvalho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.