Apesar da derrota prematura de Filipe Toledo, no domingo foi confirmada a maioria brasileira na elite dos top-34 pelo segundo ano consecutivo. Com o catarinense Yago Dora se mantendo no CT com a passagem para a quarta fase do Billabong Pipe Masters, a “seleção brasileira” permanece com onze surfistas. Ele e os também estreantes de 2018, Willian Cardoso e Michael Rodrigues, se garantiram pelo ranking principal, assim como os campeões mundiais Gabriel Medina e Adriano de Souza e os números 3 e 4 do mundo esse ano, Filipe Toledo e Italo Ferreira, respectivamente.

Italo Ferreira; Foto: WSL / Kelly Cestari

Jessé Mendes é mais um novato que continuará no CT em 2019, mas confirmou sua vaga entre os dez indicados pelo WSL Qualifying Series. Outros três brasileiros se classificaram pelo ranking de acesso, o paranaense Peterson Crisanto e o paulista Deivid Silva que estarão na elite mundial pela primeira vez e o potiguar Jadson André, que recuperou a vaga perdida no ano passado. Além dos onze titulares da nova “seleção brasileira” já confirmados, o paulista Caio Ibelli pode seguir no time se receber um dos convites da World Surf League para os atletas que se contundem durante a temporada, como foi o caso dele e dos campeões mundiais John John Florence e Kelly Slater.

ÚLTIMA VAGA NO CT 2019

Além de Caio Ibelli, mais dois integrantes da “seleção brasileira” perderam a batalha pelas últimas vagas no CT 2019 no domingo. O português Frederico Morais caiu na repescagem e ficou ameaçado em 21.o lugar. O catarinense Tomas Hermes e o pernambucano Ian Gouveia saíram da briga também sem vencer nenhuma bateria em Pipeline. Tomas perdeu um confronto direto com o francês Joan Duru, que depois passou pela terceira fase se jogando nos tubos para derrotar o cearense Michael Rodrigues e entrar nos top-22 do Jeep Leaderboard, tirando Frederico Morais do CT 2019.

Junto com Tomas Hermes e Ian Gouveia, não conseguiram sair da zona do rebaixamento para o WSL Qualifying Series, os australianos Matt Wilkinson e Connor O´Leary, o americano Patrick Gudauskas, o sul-africano Michael February que substituiu o aposentado Mick Fanning no início da temporada e o havaiano Keanu Asing. Os sete perderam suas vagas na elite, como o português Frederico Morais no domingo. Além deles, os contundidos John John Florence, Kelly Slater e Caio Ibelli, também ficaram fora dos top-22.

TRÍPLICE COROA

O único que ainda ameaça a vaga do francês Joan Duru no CT 2019 é Jessé Mendes, mas só se ele vencer o Billabong Pipe Masters. Jessé competiu duas vezes no domingo de mar desafiador em Pipeline. Na repescagem, vingou a derrota sofrida na final do QS 10000 Vans World Cup em Sunset Beach para o havaiano Ezekiel Lau, num confronto direto pelo título da Tríplice Coroa Havaiana. Depois, também surfou alguns tubos para despachar o australiano Wade Carmichael na terceira fase e seguir na busca pelo segundo título brasileiro nesta competição especial do Havaí. O único foi conquistado por Medina em 2015, um ano depois do seu primeiro título mundial.

Por João Carvalho

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.